Domingo, 14 de abril de 2024
informe o texto

OFERECEU R$ 15 MIL

Juíza marca audiência de oficial de Justiça que ofereceu propina para acessar investigação sigilosa

A juíza Celia Vidotti, da Vara Especializada em Ações Coletivas, marcou para 31 de janeiro de 2023 a audiência de instrução de Eder Gomes de Moura, oficial de Justiça que é acusado de oferecer propina à uma servidora para ter acessos aos documentos sigilosas de uma investigação sobre desvios de recursos na Assembleia Legislativa.

Ele responde pelo crime de improbidade administrativa desde 2020. A audiência de instrução em janeiro será realizada por meio de videoconferência. As partes têm 10 dias a partir da publicação no Diário de Justiça, em 25 de novembro, para contestar a data marcada.

Eder chegou a ser preso em junho de 2027, na Operação Convescote, que apurou desvios de recurso público em convênios entre Fundação de Apoio ao Ensino Superior Público Estadual (Faesp), a Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas do Estado (TCE), Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) e a Prefeitura de Rondonópolis. Os valores desviados superam os R$ 70 milhões.

Na época da prisão Eder também era presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça de Mato Grosso (Sindojus). Ele ofereceu R$ 15 mil a uma servidora do Tribunal de Justiça para ter acesso documentos sigilosos que resultaram na Operação Convescote. Além de não aceitar o suborno, a funcionária gravou a ação do oficial de Justiça.

 
Sitevip Internet