Segunda-feira, 17 de junho de 2024
informe o texto

CELERIDADE PROCESSUAL

Servidor acusado de fraudes na Defensoria será representado por defensor público

Advogada nomeada inicialmente por servidor morreu em agosto deste ano

Foto: Assessoria

Servidor acusado de fraudes na Defensoria será representado por defensor público
Acusado de participar de desvios na Defensoria Pública, o ex-chefe da gabinete do órgão, Emanuel Rosa de Oliveira passará a ser defendido por um defensor público, ou seja, será ajuda pela mesma instituição na qual participou de fraudes que terminaram com prejuízo aos cofres públicos.
 
A mudança na defesa ocorre após a morte de sua advogada, Ingrid de Souza Eickhff, que faleceu aos 41anos, vítima de infarto, em agosto deste ano.
 
Para que o processo não sofra atrasos, o juiz Jean Bezerra, da 7ª Vara Criminal, determinou a nomeação de um defensor público para o ex-servidor.
 
"Todavia, visando assegurar o direito à ampla defesa, nomeio a Defensoria Pública para que exerça a defesa do aludido denunciado até a constituição de novo advogado", diz trecho da decisão publicada no Diário de Justiça de 13 de setembro.
 
Esse não é o único processo ao qual Emanuel responde na Justiça. Junto com o ex-defensor público geral, André Luiz Prieto, ele já foi condenado pelo desvio de quase R$ 500 mil em combustível superfaturado. Em julho deste ano ele foi inocentado no processo que investigava o desvio de dinheiro através de um contrato para com uma agência de viagens para locação de veículos.
 
Sitevip Internet