Quinta-feira, 25 de julho de 2024
informe o texto

CICLONE NO SUL

Sete morrem e mais de 8 mil ficam desabrigados com chuvas

Situação deve continuar nos próximos dias

As chuvas do fim de semana no Sul do país deixaram rastro de destruição e morte principalmente no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Em cada um desses estados, quatro pessoas perderam a vida. Além disso, mais de 8 mil pessoas estão desabrigadas nessas duas unidades da Federação.

No Rio Grande do Sul, segundo a Defesa Civil, 138 municípios reportaram danos e ocorrências, com 63 pessoas feridas e 2.653 desabrigadas. Ainda 7.527 tiveram de ser desalojadas para evitar outros desastres.

No total, mais de 194 mil habitantes foram afetados por chuvas, vendavais, enxurradas, inundações e soterramentos. As mortes envolveram uma mulher em Giruá, duas em Gramado e um homem em Vila Flores.

Cestas básicas foram entregues pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil a Alegrete (400), Giruá (200), São Borja (400), Vila Nova do Sul (250), Arroio do Meio (150), Muçum (150), Roca Sales (150). Também chegaram 750 litros de água potável para Muçum e 750 litros para Roca Sales.

“Continuo acompanhando as ações da Defesa Civil junto aos municípios impactados pelas chuvas dos últimos dias. Além de resgates, partimos para ações de reestabelecimento de energia, telecomunicações e desobstrução de vias, com equipes da Brigada, dos Bombeiros e apoio do Exército”, escreveu o governador Eduardo Leite em uma rede social.

Ele garantiu que vai, nesta segunda-feira (20/11), às áreas afetadas.

Chuvas em Santa Catarina

Boletim da Defesa Civil de Santa Catarina mostrou que quatro pessoas morreram e 5,8 mil estão desabrigadas pelas chuvas. O governo do Estado espera lançar ainda nesta segunda uma chave Pix oficial para receber doações.

No estado, 71 cidades estão em situação de emergência. Nove dessas declararam situação de calamidade pública. É o caso de Rio do Sul, Rio do Oeste, Vidal Ramos, Pouso Redondo, Trombudo Central, Agrolândia, Botuverá, Braço do Trombudo e São João Batista, no Vale do Itajaí.

O governador Jorginho Mello sobrevoou alguns desses municípios ainda pelo domingo (19/11) e se comprometeu com obras para amenizar os efeitos das enchentes. “Nós temos que erguer a cabeça e enfrentar. As famílias já estão limpando tudo para recomeçar a vida, e eu, como governador, já disse aqui que vamos encarar isso”, declarou.

“Dinheiro, a gente vai atrás. Com a ajuda dos Poderes, vamos constituir um fundo permanente, e vou conversar com o governo federal. Queremos saber o que já veio de recursos e o que virá de fato para as prefeituras”, destacou Mello.

Os próximos dias

A trégua para chuvas só acontece nesta segunda. Entre terça (21/11) e quinta-feira (23/11), as condições de tempo se agravam mais nos municípios já afetados pela chuva, segundo o site Climatempo e a Defesa Civil de Santa Catarina.

As chuvas podem passar dos 100mm em muitas regiões gaúchas e atingir valores em torno de 80 a 120 mm no Alto Vale do Itajaí e parte do norte catarinense. Há a possiblidade de chegar até a 150 mm em algumas áreas.

O Paraná também pode ser afetado, com valores em torno de 100mm esperados para os próximos dias.
 
Sitevip Internet