Segunda-feira, 20 de maio de 2024
informe o texto

DUAS AUTUAÇÕES

'Rei do Ouro' fecha acordo e pagará multa para encerrar processo por crime ambiental

​O empresário foi um dos alvos da Operação Hermes

Foto: Reprodução

'Rei do Ouro' fecha acordo e pagará multa para encerrar processo por crime ambiental
O empresário Valdinei Mauro da Silva, mais conhecido como "Rei do Ouro" firmou um termo de ajuste de conduta (TAC) para se livrar de um processo por crime ambiental por ter sido autuado duas vezes - em 2011 e 2020 - pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema).

Ele foi multado as duas vezes por perfurar poços para extração de água subterrânea sem autorização tanto para a realização da obra quanto para a utilização dessa água. A propriedade onde foram encontradas as irregularidades fica em Poconé (104 km ao sul de Cuiabá).


No acordo - firmado em setembro de 2023, mas que começa a ser cumprido em janeiro - o empresário declarou já ter sanado as irregularidades ambientais, o que foi exigido para as tratativas do TAC. Ele também irá pagar R$ 54 mil de multa por danos material e moral difuso.

Polêmicas

O empresário, que é conhecido no ramo do garimpo, foi um dos alvos da Operação Hermes (HG) que teve como alvos integrantes de uma organização criminosa que contrabandeava ilegalmente mercúrio para a mineração de ouro. 


Conhecido também pela ostentação nas redes sociais, ele costuma postar fotos de helicópteros, vinhos de mais de R$ 20 mil e até mesmo do aeroporto que comprou em Santo Antônio de Leverger (34 km ao sul) por R$ 30 milhões para construir um resort temático. 

Sua fortuna é estimada em mais de R$ 1 bilhão, vindo principalmente do garimpo. Ele tem mineradoras em Poconé, Nossa Senhora do Livramento (42 km ao sul) e Itaituba, no Pará. Em outros investimentos, como imobiliárias e do agro, ele possui empresas em São Paulo, Goiás e Pará. 

Enquete

Qual aspecto considera mais crucial para melhoria do Cuiabá no Brasileirão?

Você deve selecionar uma opção
 
Sitevip Internet