Segunda-feira, 20 de maio de 2024
informe o texto

Déjà Vu e Odisseia

Justiça bloqueia terreno no Florais, lancha e jet ski de quadrilha que sonegou R$ 370 milhões

Segundo as investigações, o líder do esquema e chegou a faturar R$ 200 mil em uma semana com a emissão de guias de CTE

Foto: Reprodução

Justiça bloqueia terreno no Florais, lancha e jet ski de quadrilha que sonegou R$ 370 milhões
Nas duas operações deflagradas nesta quarta-feira (31), a Justiça determinou o sequestro de terrenos no condomínio Florais dos Lagos, de lancha, jet ski e ainda imóveis no interior do estado. O grupo criminoso sonegou mais de R$ 370 milhões em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

A determinação da apreensão dos bens é da juíza Hélia Vitti Lourenço, do Núcleo de Inquéritos Policiais (Nipo), para as Operações Déjà Vu e Odisseia. Também estão na lista dos bens bloqueados um imóvel de 5 mil hectares no Distrito da Guia e 50% de uma casa em Juína (735 km a noroeste de Cuiabá). 

Segundo as investigações, o empresário Bruno Cicaroni Alberici é o líder do esquema e chegou a faturar R$ 200 mil em uma semana com a emissão de guias de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CTE). 



Ele chegou a fugir para os Estados Unidos e sua participação no esquema consistia em negociar e oferecer "parceria" para emissão de notas através das empresas de fachada. 

Operações

Deflagradas pela Delegacia Especializada de Crimes Fazendários (Defaz) as Operações Déjà vu e Odisseia têm como objetivo desmantelar uma organização criminosa que sonegava impostos, causando prejuízo ao Estado. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em Mato Grosso, Pará e Paraná, com sequestro de bens como casas de lixo, veículos e embarcações, assim como o bloqueio de contas dos investigados.

Enquete

Qual aspecto considera mais crucial para melhoria do Cuiabá no Brasileirão?

Você deve selecionar uma opção
 
Sitevip Internet