Terça-feira, 23 de abril de 2024
informe o texto

INGRATIDÃO

Irmãs tentam matar a própria mãe esganada

Avó das criminosas salvou filha

A Polícia Civil do RJ prendeu nesta segunda-feira (26) duas irmãs por tentativa de matar a própria mãe.

Jessica de Azevedo Celestino, de 21 anos, e Vitória de Azevedo Celestino, de 20, estavam dormindo em casa quando agentes deram voz de prisão.

Segundo a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, a vítima procurou a unidade no último sábado (24) muito debilitada.

Os plantonistas tiveram que chamar uma ambulância, e só horas depois a vítima pôde prestar declarações, acompanhada da mãe, que a socorreu.


A mãe relatou ter sido arrastada até o quarto pelas filhas, onde recebeu socos e foi sufocada com um pano na boca e no nariz.

A mulher disse também que Vitória ria da situação e que Jessica a xingava: “Vou te matar, sua filha da p*ta!!!”.

As agressões só pararam quando o companheiro ouviu os gritos e foi ver o que estava acontecendo.

A vítima também apresentou áudios enviados pelas filhas, com ameaças, mesmo após ela ter prestado queixa. Desde então, ela estava na casa da mãe, avó das agressoras.


Delegada vê tentativa de feminicídio

A delegada Mônica Areal, titular da Delegacia de Atendimento à Mulher de Nova Iguaçu, enquadrou o caso como tentativa de feminicídio.

A lei 13.104, de 9 de março de 2015, incluiu o feminicídio como qualificador do crime de homicídio e no rol dos crimes hediondos.

"Feminicídio:

VI - contra a mulher por razões da condição de sexo feminino:

§ 2º -A Considera-se que há razões de condição de sexo feminino quando o crime envolve:

I - violência doméstica e familiar;
II - menosprezo ou discriminação à condição de mulher."

"O feminicídio não é só entre homem e mulher, ele também se dá com a mulher sendo autora. Se fosse um filho contra a mãe, não haveria esse questionamento. Existe a relação de afeto, elas vivem na casa da mãe e existe a vulnerabilidade da mãe. Não importa se o autor é homem ou uma autora mulher, o que importa é que tenha uma relação doméstica, familiar", explicou a delegada.


Feminicídios no RJ

Em 2023, o Rio de Janeiro registrou 125 mil casos de mulheres vítimas de violência, segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP).

Os números apontaram que o estado teve 111 vítimas de feminicídio, a maior parte mulheres negras. O crime mais recorrente foi a violência psicológica, com 43.594 casos.
 
Sitevip Internet