Sexta-feira, 19 de abril de 2024
informe o texto

ALTA PRODUÇÃO

Fazenda de MT surpreende agro nacional com boi gordo atingindo média de 22 arrobas

Lote de 151 cabeças de boi atingiu uma média de 22 arrobas, cerca de 330 kg.

Foto: Reprodução

Fazenda de MT surpreende agro nacional com boi gordo atingindo média de 22 arrobas
A Fazenda Anta Gorda II, de propriedade do Grupo Marcondes e situada na cidade de São José do Rio Claro (296 km de Cuiabá), surpreendeu o agro nacional nos últimos dias. Um lote de 151 cabeças de boi foi o responsável pelo feito: cada um dos animais atingiu uma média de 22 arrobas, cerca de 330 kg. Para se ter uma ideia, o peso médio do gado brasileiro gira em torno das 17 arrobas.

Conforme explica o diretor ambiental do grupo, o engenheiro florestal Edson Mendes, o feito é resultado de grande esforço de toda a equipe profissional envolvida, que identificou ganho de produtividade em ações sustentáveis.

“A produção da Fazenda Anta Gorda II é o reflexo de um conjunto de ações atreladas à sustentabilidade. Quando proporcionamos um ambiente bem cuidado a esses animais, seu crescimento, desenvolvimento e todas as outras etapas de produção melhoram. Nós estamos investindo em tecnologias e atitudes que contribuam a produção e para o meio ambiente”, explica.


Ao produtor e profissionais da área, os números falam por si. Já para aqueles que não são do ramo, Mendes simplifica a explicação. O ganho de cinco arrobas por cabeça além da média nacional, a propriedade produz mais, com o mesmo número de animais. O resultado disso é um positivo efeito dominó: mais carne produzida, maior movimentação na economia, crescimento na exportação e vendas internas, além da geração de empregos.

“Fazer mais com menos já é uma meta perseguida por todo produtor. O agro brasileiro, por si só, já é sustentável, devido ao rigor da legislação vigente. Mas, melhor que isso, a sustentabilidade está proporcionando não só cuidado com o planeta, como aumento na produtividade, que é o sonho de todo produtor”, afirmou.

Ainda de acordo com o diretor, a propriedade é uma das poucas a possuir todas as licenças ambientais aptas para produção. Um dos princípios do grupo é o respeito à natureza e às gerações futuras.

O Código Florestal Brasileiro (CFB) estipula um percentual mínimo de preservação das matas nativas para produção. Nos estados pertencentes à Amazônia Legal, como é o caso de Mato Grosso, a lei estipula percentual mínimo de preservação de 80%, em área de floresta; 35% em área de cerrado; e 20% em campos gerais. O CFB estipula percentuais diferentes de preservação para outras regiões do país.
 
Sitevip Internet