Quinta-feira, 30 de maio de 2024
informe o texto

BARBARIDADE

Montador de móveis estupra e agride cliente durante atendimento

Vítima, de 59 anos, contou que estava sozinha quando suspeito se apresentou como prestador de serviço; ele acabou preso pela PM horas depois

Foto: Reprodução/SBT

Montador de móveis estupra e agride cliente durante atendimento
Uma mulher de 59 anos foi agredida e abusada por um homem que foi à sua casa, na zona norte de São Paulo, para montar um móvel. Após o ataque, ela conseguiu se trancar no banheiro e o criminoso fugiu. Ele acabou preso horas mais tarde ao cair em uma armadilha montada pela Polícia Militar.

Segundo a polícia, a mulher aguardava há cerca de um mês a montagem do móvel comprado em uma loja. Na tarde de quinta-feira (11/4), um homem foi até sua casa, na Vila Gustavo, se apresentando como o prestador de serviço que faria a montagem.

Ela disse à polícia que chegou a pedir um crachá, mas o homem não tinha nenhum. Ele teria apresentado, contudo, todos os dados da mulher e da compra, o que a fez liberar a entrada do suspeito.


A mulher, que estava sozinha, contou que o homem montou o móvel, pediu água e, logo depois, a atacou pelas costas. Ela disse ter sido agredida com mordidas e puxões de cabelo. Quando a mulher tentava se desvencilhar, ele era ainda mais violento.

O agressor abusou da mulher que, num momento de distração, conseguiu correr e se trancar no banheiro. O homem, então, fugiu do local. A dona da casa ficou trancada até a chegada da filha.

Armadilha da PM

Quando a filha chegou, a mãe contou o que houve e as duas decidiram ir à delegacia. No caminho, encontraram uma viatura da PM e relataram o crime aos policiais.

Como a vítima tinha conseguido a foto e o celular do homem, passou as informações aos policiais. Um deles, então, ligou para o agressor e fingiu ser um cliente encomendando uma montagem de móveis.


Um encontro foi marcado em um ponto de ônibus das imediações. Quando o montador de móveis chegou, os policiais o prenderam. O homem foi identificado como Ailton Almeida da Silva, de 48 anos.

A polícia não sabe se o homem é um falso montador de móveis ou se realmente trabalha com isso. Representantes da loja onde o móvel foi comprado devem ser ouvidos.

O caso foi registrado como importunação sexual no 73° DP (Jaçanã). O acusado passaria por audiência de custódia nesta quinta-feira (18/4).

Enquete

Qual aspecto considera mais crucial para melhoria do Cuiabá no Brasileirão?

Você deve selecionar uma opção
 
Sitevip Internet