Terça-feira, 23 de julho de 2024
informe o texto

"Malaca"

​Juiz mantém prisão de liderança do Comando Vermelho em cidade de MT

A Operação Leyenda teve como alvos traficantes que além da venda de drogas também exerciam um "poder paralelo"

Foto: Reprodução

​Juiz mantém prisão de liderança do Comando Vermelho em cidade de MT

Juiz Jean Bezerra, da 7ª Vara Criminal

O juiz Jean Bezerra, da 7ª Vara Criminal, manteve a prisão de K.J.S.C., o "Malaca", preso em abril de 2022 na Operação Leyenda por organização criminosa e associação para o tráfico de drogas. A defesa do homem - que é apontado como uma liderança do Comando Vermelho em Guarantã do Norte (715 km ao norte de Cuiabá) - alegou que não há provas suficientes da participação dele nos crimes.

"Portanto, malgrado os argumentos defensivos, ao se ler a denúncia é possível notar, de plano, que houve uma suficiente descrição dos fatos imputados, com os detalhes de todo o contexto fático dos crimes. Com efeito, não há falar em denúncia inepta e ou ausência de justa causa, mormente considerando que o delito de integrar organização criminosa é, em regra, dotado de alta complexidade, razão pela qual o cotejo de todos os elementos informativos é feito de forma mais acurada por ocasião da sentença, e não do oferecimento da exordial", diz trecho da decisão.


A Operação Leyenda teve como alvos traficantes do Comando Vermelho em Guarantã do Norte, que além da venda de drogas também exerciam um "poder paralelo" na cidade, realizando sessões de tortura e até homicídios com quem descumprisse as regras e ordens da facção.

Na época foram presas 12 pessoas e um homem ficou foragido por meses até ser preso em janeiro deste ano. Outro integrante conseguiu despistar a Polícia por dois meses e acabou sendo encontrado na mesma cidade onde ocorreu a operação. Três mulheres tiveram o benefício de prisão domiciliar, das quais um se livrou do julgamento por ser menor de idade na época dos crimes e por não haver indícios suficientes de sua participação na organização criminosa.

Na mesma decisão o magistrado também determinou a realização da audiência de instrução e julgamento para 13 de junho. Na ocasião serão ouvidas as testemunhas de defesa e acusação, além dos réus "Malaca", "Milionário", "Birrenta", "Kamilinha", "Índio" e "Tempestade".
 
Sitevip Internet