Terça-feira, 21 de maio de 2024
informe o texto

PECÚLIO parlamentar

Familiares de Amália Barros irão receber R$ 1,5 milhão cotizados entre os outros 512 deputados

Pagamento obrigatório de pecúlio a herdeiros e familiares do falecido foi adotado pelo Congresso ainda na ditadura

Foto: Reprodução

Familiares de Amália Barros irão receber R$ 1,5 milhão cotizados entre os outros 512 deputados
Familiares da deputada Amália Barros (PL-MT), que morreu no último fim de semana após complicações causadas por um nódulo no pâncreas, irão receber um valor de até R$ 1,5 milhão, cotizados entre os outros 512 deputados da Casa. A verba é referente a direito a um pecúlio parlamentar destinado a parentes e herdeiros do falecido. Esse benefício foi instituído pelo Congresso Nacional ainda na ditadura militar, em 1975, e atualizado em 1981.

Pelo decreto legislativo, ainda vigente, cada deputado ou deputada tem descontado o equivalente a duas diárias do salário diretamente nas suas contas, no momento do pagamento do mês subsequente à data do falecimento do colega. A Câmara confirmou ao Correio que o decreto segue em vigor e que a norma vale também quando o parlamentar é afastado do mandato "por motivo alheio à sua vontade".


Se considerar o valor bruto do salário de um deputado, hoje em R$ 44 mil, o montante a ser repassado a parentes e herdeiros da deputada bolsonarista será de R$ 1,5 milhão. Cada congressista terá descontado R$ 2.932,00 do salário de junho. Se sobre o valor a ser destinado aos familiares de Amália Barros incidir desconto de Imposto de Renda, esse pecúlio cai para cerca de R$ 1 milhão.

O decreto legislativo foi alterado em 1981, aprovado por deputados e senadores, e foi promulgado pelo então presidente do Congresso Nacional, o senador Jarbas Passarinho, que era do PDS, do Pará, partido de sustentação do regime militar. O senador foi ministro de várias pastas na ditadura e foi favorável à implantação do Ato Institucional número 5, o AI-5, de dezembro de 1969, que endureceu o regime, fechou o Congresso Nacional, cassou mandatos, censurou imprensa e iniciou uma fase de terror no país, com mortes e desaparecimentos de opositores daquele governo.


O pagamento desse pecúlio enfrenta resistência no Congresso Nacional. Parte dos parlamentares discorda de seu pagamento e fica descontente quando esse valor é descontado do salário. Mas esses contrários ao pecúlio não se manifestam publicamente.

Enquete

Qual aspecto considera mais crucial para melhoria do Cuiabá no Brasileirão?

Você deve selecionar uma opção
 
Sitevip Internet